relevância

TDC 2014 Florianópolis

Postado em Atualizado em

Estive por um longo período afastado do blog, sem postar nada. O que aconteceu nesse período? Muitas coisas, com certeza. Vários novos assuntos surgiram e mudanças ocorreram na minha vida, e na própria análise de negócios. Durante esse período, infelizmente acabei perdendo o hábito de postar aqui no blog Análise Ágil de Negócio.

O que me20140522_210149 levou a retomar o blog? Bem, já tinha esse projeto pessoal e estava postergando, por N motivos. Porém, a participação no TDC 2014 Florianópolis me fez refletir que já tinha passado a hora de fazer isso. O tempo estava passando e eu perdendo a oportunidade de realizar essa troca de aprendizado entre todos.

Conforme citado acima, participei no TDC 2014 Florianópolis pela primeira vez como palestrante. Foi uma experiência incrível, onde aprendi muito. Eu e meu colega Rafael Helm palestramos na trilha Análise de Negócios. Nossa palestra “Os desafios na gestão de roadmap de produto em equipes ágeis”, contou de forma breve como realizamos a gestão de roadmap de produto na uMov.me. Buscamos explicar como buscamos gerar maior alinhamento entre a equipe de desenvolvimento e a estratégia da organização. Falamos sobre priorização, estimativa, planejamento e entrega das funcionalidades, entre outros pontos fundamentais para atingirmos os objetivos definidos para o produto.

TDC Vale destacar a qualidade do evento, que como sempre é excelente. Boas trilhas, ótimas palestras e uma organização impecável. Com certeza vale o investimento de ir até Florianópolis e obter um grande volume de conhecimento em poucos dias. Estive lá entre os dias 16 e 18 de maio, e tive o privilégio de ter acesso a ótimos materiais nas trilhas Análise de Negócios, Agile e Management 3.0. Buscarei falar mais sobre os assuntos abordados no evento nos próximos posts do blog.

O fato de ter estado no evento, e ter acompanhado inúmeros temas relevantes para compartilhamento e estudo, me fizeram sair da inércia. 🙂 Há muito conteúdo para estudar e compartilhar com todos, buscando uma troca maior de conhecimento e experiências vividas. Inclusive já estou preparando submissões para novos eventos ainda esse ano, como Agile Brazil 2014 (submissões já abertas) e TDC 2014 Porto Alegre. Acredito que devemos buscar um aprendizado constante, uma atitude e um desafio novo a cada dia. E palestrar para os profissionais qualificados que se encontram nesses eventos, compartilhando um pouco das minhas experiências vividas, é uma aprendizado enorme e uma grande m0tivação para seguir desempenhando o meu papel da melhor forma possível.

Fique ligado nos posts e novidades do blog. Estarei postando no mínimo 2 vezes por mês, buscando incluir um conteúdo variado sobre análise de negócio, passando um pouco de experiências enfrentadas na análise e temas ligados diretamente a área. Conto com a colaboração de vocês para comentarem e levantarem novos assuntos para discussão.

A importância do uso de CRM

Postado em Atualizado em

Depois de um longo tempo de inatividade do blog, estou retomando as atividades colocando meu ponto de vista diante de questões relacionadas a análise de negócio. Aproveitando minha participação no evento TTLabs Summit, realizado na empresa que trabalho, falarei um pouco sobre CRM aplicado em software-houses.

Normalmente, as empresas buscam sempre aumentar seu faturamento e lucro buscando novos clientes. O que não é errado, sem dúvida. O problema é que, muitas vezes, elas esquecem de seus clientes atuais. As organizações não percebem que o custo para a aquisição de novos clientes é muito maior. A venda de novos produtos e serviços para clientes atuais satisfeitos pode gerar um grande incremento no faturamento da empresa.

Para isso, o uso de uma boa ferramenta de CRM pode auxiliar muito as organizações. Além disso, é importante ampliar o conhecimento sobre os clientes a fim de categorizar os mesmos. Clientes com maior influência no mercado e com maior poder de investimento devem receber uma atenção especial. É um erro considerar que todos os clientes possuem o mesmo grau de importância e devem ser tratados na mesma forma. Clientes diferentes devem ser tratados de forma diferente. Cada um possui sua cultura, seu conhecimento sobre o produto, sua forma de comunicação.

O objetivo principal de uma ferramenta de CRM é conhecer melhor os seus clientes. Dar a atenção devida para cada um, de acordo com sua real necessidade. A partir disso, deve-se buscar o relacionamento com o cliente como um diferencial competitivo da organização. Entender de forma rápida e precisa o que cada cliente necessita, geralmente não é algo simples para as organizações. Principalmente em software-houses, onde os clientes normalmente possuem um conhecimento limitado sobre o processo de desenvolvimento de software. E isso se agrava ainda mais, se o cliente não possui uma área de TI bem estruturada.

É importante categorizar os clientes, para que em um atendimento todos possam saber de forma rápida qual seu grau de importância para a empresa, qual é o potencial de compra de novos produtos e serviços, e principalmente, seu poder de influência sobre o mercado, baseado em seu relacionamento e proximidade com outros clientes.

Não estou defendendo que clientes com uma classificação de menor relevância devem ser desconsiderados e distratados. Muito longe disso. Todos clientes são importantes. Só que clientes que agregam menos valor a empresa, não devem receber uma atenção maior que um grande cliente, considerado fundamental para a organização. É uma questão de alinhamento da operação com a estratégia, e uma forma de aumentar os esforços no mais relevante. Diante de uma situação onde deve ser dado retorno para mais de um cliente, sugiro que busque primeiro retornar para a mais relevante, e depois para o cliente com menor relevância. Claro que sempre respeitando o SLA de atendimento da organização.

Sendo assim, analisando o cotidiano de empresas desenvolvedoras de software, criei uma sugestão de metodologia para implantação de CRM, com algumas categorias de clientes e informações que devem ser coletadas em uma ferramenta de CRM. Esses dados podem ser conferidos no vídeo e/ou na apresentação que estão mais abaixo.

Buscar categorizar os clientes por:

  • Número de contatos (chamados) realizados
  • Geração de receita
  • Inadimplência
  • Maior conhecimento ou melhor utilização de seus sistemas
  • Maior visibilidade para seus softwares perante outras organizações

Informações que devem ser armazenadas no CRM:

  • Recursos, módulos ou programas que os clientes utilizam
  • Pessoas que utilizam o sistema e seus níveis de conhecimento sobre o sistema
  • Regras pré-estabelecidas pelo cliente, assim como particularidades no uso do sistema
  • Treinamentos realizados (com dados sobre quem fez e quando)
  • Reclamações dos clientes
  • Problemas solucionados
  • Ações pendentes com data e responsável pela próxima ação/retorn

Quer saber mais sobre o uMov.me Labs? Acesse o site http://umovme.cc e fique ligado nas novidades do blog.